Castro Jr.

Agente da Prosperidade

CULTURA ITALIANA

Fev 222021

                                                  CULTURA ITALIANA


Faço aniversário no dia 26 de dezembro. Já comemorei aniversário em várias partes do mundo, felizmente. Hoje vou contar um ponto de uma região italiana, lá no calcanhar da bota, chamada Puglia.


Local de grutas e belezas naturais, famosa pela típica gastronomia, e lá temos uma pequena e histórica cidade, Putignano, palco e cenário do carnaval mais antigo da Europa, e que se inicia no dia 26 de dezembro.


Primeiro, as pessoas levam velas às igrejas para pedir perdão pelos pecados que serão cometidos durante o carnaval. Em seguida acontece o Propaggini, em evento em que poetas recitam, de maneira improvisada, versos satíricos sobre as camadas mais influentes da sociedade.


Impressionou-me a alegria das pessoas que se fantasiam pelas ruas festejando um carnaval discreto, mas muito bem organizado. Grandes e pequenos carros alegóricos são testemunhas de muito trabalho e dedicação de pessoas que seguem esta tradição. Um cenário surpreendente.


E entre carros alegóricos, músicas e foliões mascarados, a celebração so tem fim em fevereiro, na terça-feira gorda, quando um cortejo fúnebre composto por alegorias de papel machê retrata os excessos da festança. No final do desfile, todas as esculturas são incendiadas, marcando o fim das liberdades permitidas pela temporada festiva. O fogo purifica tudo!


Esta tradição começou em 1394, quando o território era dominado pelos Cavaleiros de Malta, que decidiram transferir as relíquias de Santo Stefano de Monopoli (cidade costeira) para Putignano. Dia 26 de dezembro comemoramos o dia de Santo Estevão.


Durante a passagem dos Cavaleiros, os fazendeiros que trabalhavam no campo começaram a seguí-los, dançando a fazendo sátiras em homenagem às relíquias. Ao longo dos anos a festa cresceu, ficou mais bem produzida e profissional, e ganhou um mascote, Farinella, uma espécie de arlequim em roupas azul e vermelho, cores da cidade, e um chapéu de três pontas, representando as três colinas em volta da cidade. Farinella é um prato típico preparado com cevada ou grão de bico que os fazendeiros costumavam comer no almoço, antes de começarem a trabalhar no campo.


Muitos lugares a serem visitados na cidade, como igrejas do século XI ao XVII, museus e o centro histórico, e as famosas masserias. As masserias fazem parte da história pugliese. Elas são um conjunto de casas em estilo rústico, construídas de pedra sobre pedra. Tinham a função de abrigar proprietários de terras, camponeses e pastores que trabalhavam nas plantações de uvas e azeitonas, na produção de óleo, azeite e vinho, e na criação de animais. Algumas estão transformadas em hotéis de bed & breakfast, e fazem com que seus hóspedes vivam uma realidade próxima à de séculos passados.


Quem vai a Putignano pode aproveitar para conhecer outras charmosas cidades do sul da Itália. Alberobello, famosa pelas 1400 casas em formato de cone, chamadas de Trulli. Gioia Del Colle, um paraíso para os amantes de vinícolas artesanais. Polignano a Mare, com seu charme, suas falésias e grutas que tornam mais encantadora a cidade do famoso cantor Domenico Modugno, que levou a música Volare para o mundo. Matera, umas das civilizações mais antigas do mundo. Conversano, cidade da arte. Bari, cidade portuária e capital da Puglia, com seu centro histórico labiríntico, uma imponente arquitetura datada do século XIX e boas opções para quem gosta de ir às compras.

Não existem comentários publicados

Novo comentário

San Consultoria Web