Castro Jr.

Agente da Prosperidade

PERMANEÇA SEMPRE CRIANÇA< E VIVA FELIZ

Fev 082021

                                                        PERMANEÇA SEMPRE CRIANÇA, E VIVA FELIZ

Você já se pegou pensando em como seria bom ser sempre criança e não ter boletos para pagar, emprego para procurar, jantar para fazer e reunião para ir?


Ser criança é uma benção. Fomos crianças, teremos crianças para criar. As vezes, percebo adultos com problemas com os filhos. Criança não é problema em si, mas muitos adultos podem vê-la por este ângulo. Que perda de tempo!
Uma criança representa, para a família, uma grande felicidade, mas também uma grande responsabilidade. Isso implica numa mudança de rotina, de perspectiva e propósito de vida, ainda mais quando estão ligadas a abrir mão de algo (ou seja, sua liberdade de fazer o que quiser).


Relembre sua infância. Onde foi e como foi? O que aconteceu de maravilhoso na sua vida, quais os sentimentos mais benéficos e valores adquiridos?


Esta ação fará com que você ressignifique a vida, tornando-a mais leve, com a oportunidade de perdoar e se libertar de alguma culpa e de erros cometidos.


Geralmente as mães estão mais ligadas ao nascimento de um novo ser que foi gerado em seu ventre. Os pais precisam construir esse vínculo, e muitos fraquejam nesta tarefa, por não saber como fazer. Conceber uma criança é um acontecimento extraordinário! Prover alimentos e roupas, higienizar, aquecer, medicar, ninar, acalentar, apoiar nas pequenas conquistas – falar, andar, brincar, estudar, crescer -, construir este vínculo é essencial.

Compreender o mundo da criança e suas peculiaridades é um grande exercício de conviver com a diferença. Não importa o que as mães e os pais querem: a criança vai gritar, vai correr, vai chorar, vai jogar coisas no chão. Ela grita porque está testando sua produção sonora, sua capacidade de falar; ela corre porque faz parte do seu desenvolvimento explorar o mundo; ela chora porque é a forma que tem de demonstrar irritação, frustração e dor – física ou emocional; e la joga as coisas no chão porque está testando os materiais do mundo, sua resistência, textura e funcionalidade.


Todos querem a parte boa das crianças – os carinhos, os sorrisos, as brincadeiras -, mas o cuidado envolve a responsabilidade sobre esse ser em desenvolvimento, tanto biológico quanto emocional e social. Querer que a criança fique sempre quieta, calada e obediente é algo irreal!


São próprios do universo e do desenvolvimento da criança a agitação, a desobediência, o teste aos limites do adulto... Não lute contra essas situações, pois será uma batalha perdida e desnecessária. Isso significa criança saudável!


Nós, adultos, ignoramos e debochamos dos sentimentos das crianças e dos adolescentes. Achamos que seus problemas são bobagens. Esquecemos que já fomos criança e adolescente. Quando uma criança briga com um amigo e fica chateada, é a descoberta de um sentimento novo e ela não sabe lidar com isso, por isso, grita pedindo socorro. O primeiro amigo sempre vem acompanhado das primeiras brigas. O primeiro amor sempre vem acompanhado da primeira rejeição ou do primeiro beijo. Tudo isso é a vida dela, e é grande demais, pesado demais.


É claro que todo pai busca o melhor, mas cada um deve encontrar o limite entre a proteção e a interferência na individualidade e nos desejos das crianças. Toda criança é uma criança, logo não é mal educada, nem violenta, nem burra, tudo isso compõe seu desenvolvimento como ser humano. Exalte sempre a conquista de um novo conhecimento, uma nova palavra, uma ação correta.


Repreender é necessário, dar limites com a linguagem correta também.


Então, observe suas crianças e tenha uma vida mais leve e saudável!

Não existem comentários publicados

Novo comentário

San Consultoria Web